História e Cultura CINEMA

7 filmes para refletir sobre a liberdade de imprensa

Veja aqui a lista que preparamos para esta semana.

03/05/2020 20h20 Atualizada há 2 meses
Por: Augustho Soares

A partir de hoje, começamos a Sessão de Domingo, uma coluna semanal que vai trazer os lançamentos da semana ou dicas de filmes e séries sobre assuntos em alta.

Hoje, Dia Internacional da Liberdade de Imprensa, escolhemos algumas produções para se refletir sobre o direito dos profissionais e veículos de comunicação em publicar informações, assim como o da população em recebê-las.

Vale ressaltar que a ordem e numeração dos filmes não representa necessariamente a sua relevância. Afinal, na lista constam produções baseadas em fatos e documentários, os quais são incomparáveis entre si.

 

1 – Spotlight – Segredos Revelados (2015)

Foto: Divulgação

Vamos começar por um dos mais óbvios. Dirigido por Tom McCarthy, Spotlight é conhecido como o vencedor do Óscar de Melhor Filme em 2016. Baseado em uma história real, o longa-metragem mostra como um grupo de jornalistas do jornal Boston Globe conseguiu expor um esquema internacional para encobrimento de casos de abusos de crianças causados por padres católicos.

A narrativa mostra bem como é feito o processo jornalístico de apuração das informações e coleta de documentos. Porém, algo que se destaca na trama é a forma como o conceito de liberdade de imprensa é desenvolvido na medida em que os repórteres e editores do jornal decidem confrontar autoridades da Igreja Católica.

É bom ainda destacar que o filme, estrelado por Mark Ruffalo (Hulk de Vingadores) e Michael Keaton (Batman de 1989), faz questão de exaltar os jornalistas como verdadeiros heróis. Não é por menos que o filme é frequentemente usado em faculdades de Comunicação Social como um exemplo de ética na profissão.

 

2 – Todos os Homens do Presidente (1976)

Foto: Divulgação

Talvez essa seja a dica mais clichê, mas não tem como fazer uma lista de filmes que falam sobre a Liberdade de Imprensa sem mencionar este clássico.

Outro longa-metragem baseado em uma história real, Todos os Homens do Presidente também foi bastante aclamado pela crítica, conquistando, inclusive, o Óscar de Melhor Roteiro Adaptado em 1977.

Dirigido por Alan J. Pakula, o filme tem seu roteiro baseado no livro de mesmo nome, escrito pelos jornalistas Bob Woodward e Carl Bernstein. Na trama, em 1972, Woodward (Robert Redford) e Bernstein (Dustin Hoffman), ambos repórteres do jornal Washington Post, investigam sobre um roubo na Sede do Partido Democrata dos Estados Unidos, no condomínio Watergate.

Porém, conforme vão recolhendo informações, e com a ajuda de uma fonte misteriosa, os jornalistas descobrem uma rede de espionagem e lavagem de dinheiro que deve causar um colapso no governo Estado-unidense, então liderado pelo presidente Richard Nixon.

 

3 – The Post: A Guerra Secreta (2017)

Foto: Divulgação

Praticamente um prelúdio para o filme anterior, The Post é outro longa-metragem aclamado pela crítica que foi baseado em fatos.

Em 1971, com base em documentos sigilosos, o jornal The New York Times publica uma série de matérias que expõem segredos governamentais sobre a atuação dos Estados Unidos na Guerra do Vietnã. Então, o presidente Richard Nixon decide processar o jornal, para que nada mais sobre esse assunto seja divulgado.

Porém, estes mesmos documentos acabam nas mãos da equipe do Washington Post. Assim, cabe ao editor-chefe Ben Bradlee (Tom Hanks) convencer a proprietária do jornal, Katharine Graham (Meryl Streep), sobre a importância de continuar o que foi iniciado pelo Times e defender a liberdade de imprensa.

Dirigido pelo conhecido cineasta e produtor Steven Spielberg, The Post é uma ótima escolha para quem quer uma introdução sobre o conceito da liberdade de imprensa.

 

4 – O Informante (1999)

Foto: Divulgação

Dirigido por Michael Mann, O Informante é outro filme com um elenco de peso e que conseguiu uma boa recepção pela crítica.

Em 1994, Jeffrey Wigand, um executivo que trabalhou durante anos em uma das maiores indústrias de tabaco nos Estados Unidos, decidiu dar seu depoimento ao programa 60 Minutes, da rede americana CBS.

Na entrevista, o homem explicou que a empresa aplicava aditivos químicos ao cigarro, para aumentar a dependência das pessoas. Assim, em O Informante, é narrada a história de como o produtor do programa, Lowell Bergman (Al Pacino), convenceu Wigand (Russel Crowe) a falar em público.

Obviamente, como é feito em outros filmes nesta lista, nem todos os fatos narrados nesta produção aconteceram da mesma forma na vida real, porém todos ocorreram de uma forma ou de outra, mesmo que graças a outras pessoas ou em momentos diferentes.

 

5 – Boa Noite e Boa Sorte (2006)

Foto: Divulgação

Segundo filme a ser dirigido por George Clooney, Boa Noite e Boa Sorte ganha seu nome em referência à famosa frase do âncora de televisão americano Edward R. Morrow – não confundir com o “boa noite” de William Bonner.

Na década de 1950, Morrow ( David Strathairn) entra em confronto com o senador Joseph McCarthy ao criticar táticas e mentiras usadas por ele em sua caça a supostos comunistas.

Durante o longa, a trama é contada através da atuação dos personagens em uma fotografia em preto e branco aliada a imagens de arquivo, incluindo cenas verdadeiras do próprio McCarthy.

Contudo, a produção não deve agradar a todos os públicos, pois não se trata de um filme extremamente comercial. No entanto, a mesma conta com bons argumentos e atuações, que renderam, inclusive, seis indicações ao Oscar de 2006, incluindo a de melhor filme, ator e fotografia.

 

6 – Tim Lopes – Histórias de Arcanjo (2013)

Foto: Divulgação

Um documentário que retrata a vida e a trajetória de Arcanjo Antonino Lopes do Nascimento, o Tim Lopes, considerado um dos maiores repórteres investigativos do Brasil.

A narrativa se passa dez anos após a morte do jornalista, em 2002, um crime que chocou o país, além de ter sido considerado como um atentado à liberdade de imprensa.

Durante uma investigação sobre o abuso de menores em bailes funk, o repórter se arriscou ao entrar com uma microcâmera em uma festa promovida por traficantes de drogas, no Complexo do Alemão.

Através da perspectiva de Bruno, filho de Lopes, o longa-metragem conta a história e o método de trabalho de Tim com imagens de arquivos, feitos pelo próprio repórter e por outras pessoas, além de depoimentos da família, de amigos e de admiradores.

 

7 – Nobody Speak: Trials of the Free Press (2017)

Foto: Divulgação

A liberdade de imprensa contra a influencia de bilionários no controle das informações é mostrada através de exemplos recentes no documentário Nobody Speak: Trials of the Free Press.

Um dos casos contados na produção é o apoio financeiro do empresário Peter Thiel à briga judicial do ator e estrela da luta-livre profissional Hulk Hogan contra o blog de fofocas Gawker Media.

Em outubro de 2012, o site publicou partes de um vídeo de sexo explícito em que Hogan transava com a mulher de seu amigo. Assim, se inicia um debate sobre as razões do ator em lutar por seus direitos e os interesses de Thiel ao entrar neste caso, para atacar a liberdade de imprensa.

Dirigido por Brian Knappenberger e produzido pela Netflix, o documentário foi indicado ao Prêmio do Júri no Festival de Cinema de Sundance de 2017.

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.