Educação SEM CONDIÇÕES

Instituições da região se manifestam pelo adiamento do Enem

IFSul, IFFar, Unipampa e Uergs assinaram documento conjunto com demais Reitoras e Reitores de Instituições Federais e Estaduais do RS

14/05/2020 23h33 Atualizada há 2 meses
Por: Renan Silveira

Em um contexto de pandemia onde o Brasil contabiliza mais de 13 mil mortes decorrente da nova doença, reitores(as) de instituições presentes na região se unem ao manifesto realizado em conjunto com as demais Universidades e Institutos Federais e Estaduais do Rio Grande do Sul.

Assinaram o documento os reitores(as) do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Sul-rio-grandense (IFSul), Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia Farroupilha (IFFar), Fundação Universidade Federal do Pampa e Universidade Estadual do Rio Grande do Sul (Uergs). Além das demais instituições do estado.

Entre os pontos destacados no manifesto, estão a falta de definição nos prazos para o término das medidas de isolamento social e, consequentemente, a normalização do calendário do ensino médio. É citado, ainda, que diversos países já adiaram seus exames nacionais após suspenderem as aulas em suas instituições. "Entendemos que nenhum estudante deva ter seu ingresso na educação pública prejudicado pela pandemia", acrescentou-se.

Há uma pressão muito grande em cima do Governo Federal, oriundas de lideranças políticas e da sociedade em geral, pelo adiamento do exame. Um dos maiores argumentos, é que, sem o funcionamento das escolas, o ensino à distância não contempla aqueles estudantes que vivem em situação de vulnerabilidade por não ter acesso à internet em casa. Dessa forma, o momento de preparação não seria justa.

Vale lembrar que, segundo estudo do IBGE em 2018, 1/4 das pessoas no Brasil não têm acesso à internet.

Bolsonaro chegou a comentar, antes de ontem, dia 13, de que a prova poderia ser adiada, mas que ocorreria ainda em 2020. Já o ministro da Educação, Abraham Weintraub, em reunião com deputados, reafirmou a realização do exame para novembro.

Governo recorrerá de decisão sobre adiamento do Enem

Datas de provas do Enem são garantidas para 1º e 8 de novembro

A hashtag #AdiaEnem, por sua vez, permaneceu por muitas horas entre os assuntos mais falados do Twitter, e reuniu milhares de protestos de internautas.

O manifesto dos reitores foi encaminhado para o Ministério da Educação para que se avalie a demanda dos gestores, que é uníssona. O documento pode ser lido na íntegra, clicando aqui.

 

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.